terça-feira, fevereiro 2

SER PROFESSOR: AGRADECIMENTO



Muitas das vezes reclamo de meu ofício de professor, dizendo que é uma profissão que, hoje, dissolveu o seu sentido. Em muitos casos, é isso mesmo. O que faz hoje o professor? Como entender hoje o papel da educação? Em uma realidade que o conhecimento está descentralizado, democratizado, desencantado e pragmatizado, muita coisa não dá para fazer. Para que ser professor hoje? As teorias educacionais mais atuais falam da função mediadora do professor. Contudo, como concorrer com as máquinas que fazem, com eficácia e eficiência esse mesmo papel?

Com a era da EAD, a tendência parece apontar para uma realidade mais triste. A moda hoje são as video aulas, a tutoria e os cursos cada vez mais distantes, mais superficiais e mais bagatelizados (economicamente falando). A pesquisa que já estava totalmente desvinculada com a educação, com essa nova moda (ou tendência), fica cada vez mais abissal. E as esperanças, como sempre, vão ficando cada vez mais para os fins mesmo.

Penso que em um fututo, não muito distante, haverá muito poucos "professores", ao contrário dos tutores, e uma aula presencial será tão caro que ninguém terá condições de pagá-la. Ou seja, as aulas presenciais serão elitizadas, sumindo do cotidiano, sendo privilégios de poucos. A grande maioria terá que se contentar com video-aulas "meia-boca" e tutores desqualificados e mal pagos.

Max Weber já previa essa pragmatização em sua discussão sobre a "Vocação do cientista". E o pior de tudo é que ele acertou. Vivemos em uma era desencantada, especializada e sem muitas esperanças. Aquele desejo intríseco de que falava Aristóteles pelo aprendizado se transformou em pura in-formação superficial, manipulada e desvinculada de qualquer crítica.

Mas, apensar de tudo isso, gostaria de aproveitar, enquanto a educação não faliu de vez e que ainda existe o professor, para agradecer aos meus alunos formandos de filosofia desse ano na UCDB pela homenagem que fizeram para mim. Depois de três anos de desafios, eles chegaram ao final e com a certeza de que valeram os esforços. Da minha parte, eu desejo a eles todo sucesso do mundo e que suas vidas sejam verdadeiras presenças transformadoras em um mundo que sucumbiu a crítica. 

A vocês, meus queridos alunos, sejam como lanternas e indiquem a todos os caminhos a serem percorridos, mesmo que para isso seja necessário enegrecer alguns pontos para que outros sejam iluminados!

0 comentários:

Postar um comentário